Coenzima Q10 100mg 180 Cápsulas Now Foods

NOW-225

Novo

  • Saúde Cardiovascular
  • Com Hawthorn Berry
  • Qualidade GMP Assegurada
  • Suplemento Dietético
  • Fórmula Vegetariana

Mais detalhes

Este produto não está mais em estoque

Cálculo do Frete

Aguardando CEP

R$ 0,00

Pagseguro
Pagseguro

Avaliações de Nossos Clientes

Ninguém postou uma avaliação ainda
neste idioma

Mais Informações

Coenzimas são moléculas orgânicas complexas necessárias para a atividade enzimática, sendo, ao contrário das enzimas, termoestáveis. Funcionam como transportadoras de grupos funcionais tais como: elétrons, aldeídos, grupos acila, amino, etc. São provenientes de precursores dietéticos como tiamina, riboflavina, ácido nicotínico, piridoxina, biotina, vitamina B12.

A Coenzima Q10 é uma benzoquinona substituída, lipofílica. É encontrada, parcialmente sob a forma reduzida, em todas as membranas celulares na célula humana e em lipoproteínas plasmáticas. É biossintetizada a partir da tirosina através de uma cascata de oito precursores aromáticos que, por sua vez, necessitam de diversas vitaminas. Entre elas, Vitaminas B2, B6, B12, C, ácido fólico, niacina, ácido pantotênico, indispensáveis à biossíntese do DNA. Tem como fonte de suprimentos a carne bovina, sardinha, amendoim e espinafre.

A Coenzima Q10 é um componente essencial da cadeia respiratória mitocondriana da célula e desempenha um importante papel na produção de ATP. Participa do processo de
transferência de elétrons, conduzindo-os de desidrogenases reduzidas ligadas a flavina até o oxigênio, aceptor final. É, portanto, necessária à produção de ATP, principal fonte
de energia celular. Esta coenzima exerce papel protetor em diversos sistemas biológicos.

Mecanismo de ação
A Coenzima Q10 tem uma ação protetora sobre o tecido isquêmico reduzindo ou impedindo lesões celulares tanto durante a isquemia propriamente dita como durante a agressão tecidual, que ocorre durante a reperfusão. Durante essa situação patológica ocorrem, na ausência de elementos protetores, fenômenos como peroxidação lipídica e ativação de neutrófilos em decorrência do acúmulo de radicais livres. A peroxidação lipídica aumenta a liberação de ácido araquidônico, que perpetua a formação de radicais livres por ativação da cicloxigenase.

A ação varredora de radicais livres e a ação estabilizadora de membranas da Coenzima Q10 a tornam indicada para prevenção e tratamento de diversas patologias relacionadas à isquemia e reperfusão, entre as quais podemos detectar: distúrbios da microcirculação no choque séptico, angina pectoris, insuficiência cardíaca, hipertensão arterial, prolapso da válvula mitral e estenose aórtica.

A Coenzima Q10 protege ainda o tecido miocárdico durante a cardioplegia em cirurgia a céu aberto. Previne e cura as doenças periodontais. Wilkinson e outros, estudando o
tratamento das doenças periodontais com Coenzima Q10, descobriram que o tecido gengival afetado era deficiente em Coenzima Q10, enquanto o tecido saudável dos mesmos pacientes não apresentava essa deficiência. O tratamento com Coenzima Q10 aumentou em muito o ritmo de cura do tecido afetado. A Coenzima Q10 muitas vezes não apenas fez reverter o avanço da doença, mas estimulou o recrescimento de tecido saudável. Mostrou-se útil particularmente para diminuir a inflamação e a dor. Estimula o sistema imunológico. A Coenzima Q10 estimula o sistema imunológico enfraquecido ou comprometido, melhorando não somente a produção de anticorpos e delinfócitos T, mas também como aumentando a atividade fagocitária. Incrementa o fluxo energético intracelular.

Retarda processo de envelhecimento. A propriedade antienvelhecimento pode ser devida à capacidade da Coenzima Q10 em melhorar o estado de energia das células e aumentar a eficiência da utilização do oxigênio. Estudos demonstraram que o conteúdo de Coenzima Q10 diminui com a idade, especialmente nos tecidos cardíaco e hepático. Protegendo as células contra a peroxidação, a Coenzima Q10 aumenta a tolerância de idosos e sedentários ao exercício físico e pode corrigir falhas do sistema imunológico.

A Coenzima Q10 também foi relacionada à melhora do diabetes meliitus, um distúrbio do metabolismo dos carboidratos resultante de produção ou utilização inadequada da insulina. Há estudos que constaram deficiêcia de Coenzima Q1O em pacientes diabéticos. Em um estudo, em que foram ministrados 120mg de CoQ7 (não se dispunha de Coenzima Q1D na ocasião) a 39 pacientes com condição estabilizada .glicemia mostrou redução de pelo menos 20 a 30% em 26 pacientes. Não se tem ainda certeza sobre como a Coenzima Q10 funciona para controlar o diabetes, mas especula-se que ela possa melhorar o metabolismo dos carboidratos ou talvez corrigir a capacidade do organismo de sintetizar o hormônio.

A Coenzima Q10 tem ainda benefícios potenciais no tratamento da distrofia muscular. Foi constatada a deficiência de Coenzima Q10 em mitocôndrias do tecido muscular de humanos com distrofia muscular. Além disso, é conhecida a propriedade da Coenzima Q10 em diminuir a viscosidade sanguínea e aumentar a atividade contrátil do miocárdio.

Quanto a necessidade de suplementação de Coenzima Q10, pode-se afirmar que se torna mais importante com o avançar da idade, durante períodos de estresse prolongado ou de deficiências nutricionais, especialmente em caso de doenças cardiovasculares ou disfunção imunológica.

-Farmacocinética
A Coenzima Q10 pertence ao grupo das quinonas solúveis em gordura. Sua absorção no trato digestivo se faz através de sua incorporação aos quilomícrons. Após a ingestão de uma dose oral, seu pico sanguíneo ocorre entre 5 a 10 horas e somente após 4 dias é que se alcança o equilíbrio hemo-tecidual. Cerca de 40% de uma dose oral alcançam a circulação sanguínea, ligam-se parcialmente à VLDL-Lipoproteína e se depositam no tecido hepático. Do fígado é distribuída e concentrada preferencialmente na suprarrenal, baço, pulmões, rins e miocárdio. A Coenzima Q10 é excretada preferencialmente por via biliar.

Indicações
A Coenzima Q10 está indicada como protetor do metabolismo em inúmeros processos patológicos do Organismo: doenças degenerativas, cerebrovasculares, musculares, neurogênicas, diabetes melitus, anormalidades metabólicas da hipertensão arterial, sistêmica, cardiomiopatias, imunodeficiências, insuficiência cardíaca congestiva. Também é um antioxidante e pode ser usada quando for indicado um programa nutricional antioxidante.

Posologia
A Coenzima Q10 pode ser utilizada na forma de comprimidos, cápsulas e líquida. As doses recomendadas variam de 30 a 100mg por dia, fracionadas ou não. Administrar as cápsulas preferencialmente após as refeições. Melhor absorvidas por via sublingual e forma líquida. Podem ser necessárias doses mais elevadas em casos de doença cardíaca grave e para uso na distrofia muscular, podendo chegar a 36Omg de Coenzima Q10 por dia. A dosagem deve ser avaliada de acordo coma resposta clínica. Os pacientes não devem interromper abruptamente a terapia com Coenzima Q10, e o uso contínuo de Coenzima Ql0 é enfaticamente recomendado quando são obtidos resultados positivos.

Contra indicações
Hipersensibilidade à Coenzima Q10, gravidez e lactação.

Precauções
A inibição terapêutica da 3-hidroxi-3-metil-glutaril coenzima A redutase afeta a biossíntese da Coenzima Q1O, produzindo redução nos seus níveis.
Hipoglicemiantes orais podem inibir sua atividade.

Efeitos adversos
Raramente pacientes mais sensíveis podem apresentar queixas de desconforto epigástrico, náuseas, perda de apetite e diarreia.

Ficha Técnica

Quantidade180 cápsulas
UPC733739032133
Validade07/2019
OrigemEstados Unidos
FabricanteNow Foods

Comentário